Search
  • Dra. Fernanda Sartori

Depressão Maior

Updated: Jul 5, 2019

A Depressão é uma síndrome clínica de causa multifatorial, isto é, geralmente uma série de fatores em conjunto contribuem para seu desencadeamento:

. fatores emocionais, psicológicos e de personalidade

. fatores ligados a família e contexto social

. predisposição genética, hereditariedade

. stress agudo ou crônico

. alterações no funcionamento da química cerebral, alterações neuroendócrinas, inflamatórias

. entre outros.



No Brasil, estima-se que 7,6% dos brasileiros sofram de Depressão (aproximamente 11 milhões de pessoas), sendo que 10,9% da população feminina e 3,9% da masculina (a prevalência da Depressão em todo o mundo é maior nas mulheres).

Em 2017, a Depressão foi a 10a causa mais comum de afastamento do trabalho no Brasil.



Os sintomas mais típicos do denominado Transtorno Depressivo Maior (TDM) são o humor deprimido (ou “para baixo”) e a perda de interesse ou prazer nas coisas que antes agradavam. Quase todas as pessoas deprimidas se queixam de falta de energia e disposição.

Outros sintomas que comumente ocorrem:

. irritabilidade, choro fácil

. fadiga

. sentimentos de inutilidade, culpa ou desesperança

. isolamento

. perturbações na memória, concentração e capacidade de decisão

. diminuição do interesse sexual

. alterações no padrão de sono e apetite

. desejo ou intenção de morrer (o sintoma mais preocupante de todos)



Esse conjunto de sintomas acarreta em sofrimento e prejuízo no funcionamento da pessoa em vários níveis – nos relacionamentos, a nível pessoal, acadêmico, profissional, ou outras áreas importantes da vida da pessoa.



Os critérios atuais para diagnóstico do TDM requerem que esse conjunto de sintomas estejam presentes num período de no mínimo 2 semanas.


Importante esclarecer que diante de sintomas depressivos é preciso sempre uma avaliação médica, para que o profissional possa levantar os diagnósticos diferenciais, caracterizar o tipo de depressão (se Depressão Maior, Depressão Bipolar, Depressão Atípica, Depressão Sazonal, Distimia, Depressão pós parto, entre outros), solicitar exames complementares se for indicado, orientar sobre os riscos que a falta de tratamento pode acarretar e indicar o tratamento mais indicado conforme o caso e o indivíduo. Em geral, o tratamento é feito com o uso de medicamentos antidepressivos e na maioria dos casos indica-se o tratamento psicoterápico associado.

13 views
 

©2019 by Dra. Fernanda Sartori Psiquiatra. Proudly created with Wix.com