top of page
Search
  • Writer's pictureDra. Fernanda Sartori

Existe uma relação entre síndrome de Ovários Policísticos (SOP) e trasntornos psiquiátricos?

A síndrome dos ovários policísticos (S.O.P.) é ​​um distúrbio endócrino com manifestações reprodutivas e metabólicas que afeta 8 a 13% das mulheres em idade reprodutiva ao redor do mundo.


A S.O.P. pode causar desequilíbrios hormonais, períodos menstruais irregulares, níveis excessivos de hormônios andrógenos e cistos nos ovários. É também uma das principais causas de infertilidade (1).


Os riscos à saúde associados à SOP, entretanto, vão além da saúde física. 


Ao longo da última década, surgiram dados que demonstram um elevado risco de problemas de saúde mental concomitantes, especificamente depressão e ansiedade, mas estendendo-se a outros aspectos como problemas de imagem corporal, distúrbios alimentares, disfunção sexual. (2) 


Um estudo sueco (3) que utilizou dados de registros dos serviços de saúde desse país, identificou que as mulheres diagnosticadas com S.O.P. entre 1990 e 2013 (total de 24.385 mulheres) tinham 50% mais risco de ter algum transtorno psiquiátrico*.


A etiologia da S.O.P. ainda não é totalmente esclarecida, assim como os motivos da associação da síndrome com transtornos psiquiátricos ainda não são bem elucidados. 


As evidências disponíveis sugerem que as manifestações clínicas relacionadas à S.O.P. como o hiperandrogenismo, resistência à insulina, obesidade, disbiose intestinal e outras variáveis ​​podem aumentar o risco de transtornos psiquiátricos nos pacientes. Por sua vez, os transtornos psiquiátricos podem agravar o processo patológico da SOP e aumentar a dificuldade do tratamento.(4)


Porém ainda são necessários mais estudos para confirmar essas hipóteses.


É importante que as pacientes com S.O.P. e os médicos que as acompanham estejam cientes dessa associação para uma melhor identificação de tais comorbidades e, assim, um melhor aconselhamento e encaminhamento para um tratamento adequado.


Referências:

  1. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/polycystic-ovary-syndrome

  2. Alur-Gupta, S., Dokras, A., & Cooney, L. G. (2024). Management of polycystic ovary syndrome must include assessment and treatment of mental health symptoms. Fertility and sterility121(3), 384–399. https://doi.org/10.1016/j.fertnstert.2024.01.018

  3. Cesta, C. E., Månsson, M., Palm, C., et al (2016). Polycystic ovary syndrome and psychiatric disorders: Co-morbidity and heritability in a nationwide Swedish cohort. Psychoneuroendocrinology73, 196–203. https://doi.org/10.1016/j.psyneuen.2016.08.005

  4. Hu, R., Geng, Y., Huang, Y., et al (2023). New insights into the interaction between polycystic ovary syndrome and psychiatric disorders: A narrative review. Int J of Ginecology & Obstetrics, 164(2), 387–420. https://doi.org/10.1002/ijgo.14988


Notas*: incluíam: esquizofrenia, transtorno bipolar, transtornos depressivos e de ansiedade, transtornos alimentares, transtorno de personalidade e de identidade de gênero, transtorno do espectro do autismo (TEA), transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), tiques, tentativa e suicídio consumado.




6 views0 comments

Comments


bottom of page